Talvez o principal nome do momento, a nova estrela da música eletrônica usa um capacete branco em formato de marshmallow com enormes olhos em forma de X e um sorriso meio amedrontador. Desde quando começou a aparecer nos festivais internacionais de música eletrônica, em 2015, ele nunca mostrou sua verdadeira face. Contudo, sites especializados no gênero ligam sua identidade à do DJ americano Chris Comstock, também conhecido como Dotcom, mas tudo não passa de um boato nunca confirmado, e é sobre esse ícone mascarado que iremos falar aqui na #WikiVibez!

Sem dar entrevistas e com uma origem misteriosa, Marshmello surgiu no cenário eletro-musical em março de 2015, quando postou uma faixa chamada “WaVeZ” no SoundCloud. Rapidamente compartilhada por diversos artistas, entre eles Skrillex, a música desencadeou uma onda de fãs interessados em descobrir o paradeiro desse DJ que emergia na conjuntura musical. Curiosamente, foi no remix de “Where are ü now“, hit de Jack Ü (duo de DJs formado por Skrillex e Diplo) e Justin Bieber, que o músico definitivamente estourou.

Em janeiro de 2016, Marshmello lançou seu primeiro álbum de estúdio. O set de 10 faixas, intitulado Joytime, veio com uma série de singles de sucesso do iTunes, incluindo “Keep It Mello” com o rapper Omar LinX – que chegou a ser certificado de ouro pela RIAA (Associação da Indústria Fonográfica da América) – e “Want U 2”, fazendo com que sua reputação disparasse.

“Eu só quero fazer boa música. E para isso não é necessário você saber quem eu sou.”

Marshmello surgiu no rastro de outros DJs mascarados, entre eles o canadense Deadmau5 e o duo francês Daft Punk. Todos eles seguem uma longa linhagem de artistas que fazem do mistério seu maior merchandising. Apesar das pessoas supostamente saberem quem ele é, a força do hype (sobre ele) ainda é forte. Marshmello estreou na Monstercat (gravadora canadense independente de dance music) com o lançamento de “Alone“, que apareceu no álbum de compilação da gravadora Monstercat 027 – Cataclysm. O videoclipe da canção, lançado para o YouTube, recebeu mais de 1,16 bilhão de visualizações em fevereiro de 2019. A mesma alcançou o status de Platina nos Estados Unidos e no Canadá em 2017 e 2018, respectivamente.

No ano de 2017, o DJ norte-americano colaborou com Ookay para lançar o single “Chasing Colors“, com vocais de Noah Cyrus. Depois, ele colaborou com Slushii para a música intitulada de “Twinbow“. No meio do ano, seu terceiro single lançado foi “Moving On“. Meses depois, Marshmello anunciou as próximas colaborações com Blackbear (artista americano de hip hop) e Demi Lovato. As colaborações, no entanto, nunca foram lançadas oficialmente.

Em julho daquele ano, ele lançou uma música (de graça) intitulada “LOVE U” para todos os seus fãs como forma de agradecimento. No mês seguinte, foi anunciado, no twitter, o single “Silence” que o cantor e compositor Khalid colaborou com ele. A música apareceu no Top 200 em mais de 28 países, liderando as paradas de dança na Austrália, no Reino Unido e nos Estados Unidos, além de ter ficado entre os dez primeiros de mais de quinze países, como Alemanha, Suécia e Noruega. No final do ano, Marshmello lançou sua colaboração com Selena Gomez na música “Wolves“, que se tornou um sucesso comercial e alcançou o top 10 em mais de 20 países.  Foi também a sua canção Billboard Hot 100 mais bem apresentada em 2017, tendo atingido o pico no Top 50 em mais de 50 países e vendido mais de 2,5 milhões de cópias de unidades reconhecidas. A canção foi certificada em ouro no Reino Unido, Alemanha, Portugal e Dinamarca e múltipla-platina no Brasil, Suécia, Canadá e Austrália, enquanto recebia certificação de platina única nos Estados Unidos, França, Itália, Espanha, Bélgica e Nova Zelândia.

Já em 2018, mais precisamente em janeiro, Marshmello lançou uma colaboração póstuma com o rapper Lil Peep, intitulada “Spotlight“. Inicialmente a música não seria lançada, mas a mãe do cantor pediu para que fosse lançada. Um mês depois, o DJ de 26 anos trabalhou com seu frequente colaborador Slushii para a música “There × 2“. Em seguida, ele lançou “Friends“, música que teve a participação de Anne-Marie e foi o quinto single do álbum dela, denominado “Speak Your Mind”. A música recebeu uma certificação de platina única na Bélgica, Alemanha, Nova Zelândia, Reino Unido e Estados Unidos, além de receber uma certificação australiana de dupla platina e uma canadense de platina tripla.

No mês de março daquele mesmo ano, Marshmello e o rapper Logic lançaram a canção intitulada “Everyday“. Dois meses depois, “Fly” e “You Can Cry” foram os singles lançados em cooperação com rapper Juicy J e o cantor James Arthur, respectivamente. E foi em junho que o DJ americano anunciou em seu twitter a produção do seu segundo álbum, denominado Joytime II. O mesmo, que seria musicalmente semelhante ao seu antecessor, foi amplamente criticado por não ter convidados e seguir uma linha de música muito monótona. Ainda assim, conseguiu chegar ao primeiro lugar na parada da Billboard Top Dance/Electronic Albums.  No mesmo mês, dois singles foram lançados fora do álbum: “Tell Me” e “Check It Out“. O último chegou a receber vídeo-clipe oficial, publicado vários meses depois.

Mas foi em agosto a provável principal produção de Marshmello, quando teve a parceria da banda britânica Bastille no single “Happier“, certificada como ouro na Bélgica, na Suécia e no Reino Unido, platina na Nova Zelândia e nos Estados Unidos, além de dupla platina na Austrália e no Canadá. Nela e em seu clipe com tema de cachorro de estimação, ele apoiou a campanha #FindYourFido da Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade contra os Animais (ASPCA) em outubro daquele ano, também reconhecida como “Adopt a Shelter Dog“. No fim de 2018, ele lançou duas novas produções com cantor e compositor egípcio Amr Diab em “Bayen Habeit” e o rapper e produtor americano Roddy Ricch em “Project Dreams“.

Neste ano, 2019Marshmello fez o primeiro show virtual de um grande artista. E foi no jogo do momento, Fortnite Battle Royale, que o DJ realizou suas performances de mais ou menos 10 minutos nos dias 2 e 3 de fevereiro, chegando a acumular mais de 10 milhões de jogadores. Além disso, ele também ganhou skins (visuais alternativos) no jogo. Ainda neste mês, o DJ lançou dois novos hits: “Sell Out” e “BIBA“. O primeiro teve a participação do DJ e produtor Svdden Death. Já o segundo, teve a participação do cantor indiano Pritam e da cantora Shirley Setia.

Trabalhando em seu terceiro álbum, o Joytime III, seu nome artístico – uma grafia alternativa de “marshmallow” – foram inspirados pelo produtor de música eletrônica canadense Deadmau5, que também usa uma ortografia alternativa para seu nome artístico e se apresenta usando um mascote de “rato morto”. Se engana quem pensa que Marshmello é apenas DJ e produtor: ele também é youtuber. Por lá, ele já publicou vídeos de jogos e culinária para suas séries “Jogando com Marshmello” e “Cozinhando com Marshmello“.

Com um estilo musical orientado a groove, synth e heavy bass, o músico de 26 anos mistura desde o trap music ao future house/house progressivo. Premiado o “Best Eletronic” (o melhor do cenário eletrônico) pelo MTV Europe Music Awards de 2018, sua ascendência dentro da EDM chama a atenção. Completando cinco anos de carreira no ano que vem, ele já chegou a ser indicado para 14 nomeações. Mais do que isso, Marshmello também é um fenômeno para o público infantil.

Estilo único, poucas falas e flexibilidade estilística musical: existem muitos segredos e formas para serem estudadas sobre a forma como Marshmello obteve sucesso em um espaço tão curto de tempo. Como sintetização do seu auge, em apenas um ano de carreira, ele foi escolhido o número 28 “Top Dj” da DJ Mag. Nos dois anos seguintes, manteve a 10ª colocação do ranking. Ainda que ele seja um DJs mais bem pagos do mundo, nem sempre o ganho lucrativo é sinônimo de êxito musical. Mas não é o seu caso.

Em paralelo ao seu progresso, o casamento entre o pop e a EDM também tem grande contribuição nisso. Cada vez mais se tornou comum DJs lançarem músicas com artistas como Halsey, Coldplay, Selena Gomez e etc. Apesar do segundo álbum de Marshmello ter ignorado suas tendências em lançar singles com parcerias, vários de seus projetos musicais têm pouca ou nenhuma conexão com a música eletrônica padronizada. E talvez esse seja seu principal diferencial para ter obtido tantas conquistas no cenário.

Muito mais do que um capacete divertido, o jovem produtor conseguiu se aproveitar bem da quebra das paredes entre a música pop e a música eletrônica, que precisavam se reinventar. De qualquer maneira, Marshmello tem uma grande parcela de contribuição nisso. Mesmo que desconfiem da sua identidade, o produtor conhecido pela face enigmática utiliza bem as vertentes da valorização da arte em detrimento da imagem. É inegável que a estética ligada à cultura digital construiu para boa parte de sua trajetória na mídia, fazendo com que a máscara se tornasse um componente lúdico nessa narrativa. Seu talento alinhado às grandes performances — dentro e fora dos estúdios — foram a cereja de um bolo que já tinha tudo para dar certo antes mesmo de ser feito.

Comments

comments