untold

Conheça o Untold com detalhes: experiência, palcos e estilo musical que rola no festival

TRACK DA SEMANA:


Se você é um festivaleiro, sabe que esses ambientes são dedicados ao nicho. Eles dialogam e afagam grupos e momentos muito específicos. Sabem para quem falam, como falam e, mais do que tudo, como falam. Sabem como o cliente vai assimilar cada mensagem e usufruir das ofertas que propõe.

A questão negligenciada é: um festival é feito para apenas um estilo de pessoa? E se ele se propuser a oferecer um outro nível de entretenimento? Se deixar de lado alguns preconceitos e hábitos arcaicos em prol de um grande ambiente? O Untold fez. Eu conto como foi.

Uma dezena de palcos. Se você não se assustar logo de cara com a imensidão física desse número, o conteúdo de cada um vai te causar um espanto, inevitavelmente. Colocar pra jogo 10 locais distintos e preparados para gerar interesse ao longo de 4 dias é uma tarefa onerosa.

Como cultivar desejo durante 48 horas em dez espaços distintos, sendo que o público é, em sua maioria, o mesmo? Pergunta de milhões de euros que o Untold aplicou em filosofia para colher reconhecimento. Saborear as dores e delícias desses espaços foi uma missão, que detalho abaixo.

Mainstage

O Mainstage é o culto à magia. Enorme, cheirando à débito. O ouro que predominava nas cores parecia ser uma mão carinhosa te chamando para a sinestesia de um set. A ideia de abraçar os pouco mais de 80 mil presentes no espaço de chão é obtida com sucesso. O caráter de paredão do palco faz qualquer visão ser perfeita, mas assustadora. Há uma verdadeira barreira de luz e efeitos especiais na sua frente. Impacta e fascina. 

A área VIP fica à direita dos artistas e tem uma elevação leve, mas suficiente para atender aos critérios e valores daquele espacinho chique e bem frequentado. Com bares e banheiros vertendo como formigas, é muito fácil a tarefa de sobreviver em alto padrão. 

Disse a vocês sobre o gigantismo, certo? Então. Ele não se resume ao super palco para super shows que todo mundo idealiza ver. O macrocosmos de um festival é atendido até esse ponto que contei, mas daqui em diante a experiência Untold passa a te abraçar e sussurrar: “tem mais!”. E te digo: fosse só tudo aquilo, você não teria uma vírgula a reclamar. Talvez do fim, mas todo carnaval tem seu fim. A oferta dionisíaca de deixar o mainstage deixa uma vontadezinha de ficar, mas sorte a sua se decidir por conhecer o resto. É como deixar a orla e conhecer o mar.

Palcos secundários

De cara, o contraste mainstream com a levada do Techno se estabelece no Galaxy Stage. Menos colorido, mais dançante e concentrado na própria vibe, o ambiente é antagônico ao êxtase que populariza o principal. É, em questão de metros, uma experiência diametralmente oposta à anterior, para cerca de 8 mil pessoas. Faz sentido ser assim. É o primeiro passo para englobar todos os desejos. 

Mais alguns metros, o Daydreaming Stage quebra completamente a vibe e oferece sensações leves, como se fosse uma praia para descansar da maratona. Com Slow House e Playa Tech, conversa baixinho, estende a rede e te acalma, energiza e prepara para seguir em direção ao próximo bloco de entretenimento. 

Com calma n’alma, chega-se ao Forest, mas pode chamar de Lollapalooza. Tocando sons Indie, Pop, Reggae e até um Jazz, é como presenciar uma bolha no meio do deserto. Uma nova ideia, com novos sentimentos, num novo ritmo, com novas pessoas. É uma desculturação cheia de cultura, uma troca de informações sem precisar falar. Ninguém nasce pro mundo gostando de uma coisa só. Logo na música, rainha do congraçamento, falar de preconceito? Quem bom ver quem ousa inserir o diferente no extremo nicho. Que atitude nobre e necessária. É um highlight do Mad Max Untoldiano.

Sobre crenças, costumes e credos, falamos também. No Time, há uma proximidade com o experimentalismo. Espaço para quem precisa de espaço. Som feito para testar sensações. Quem nunca sonhou em estar por naquele espaço e extravasar seu sentimento? Então… já aproveite o caminho para conhecer o Fortune Stage. Vá com calma, o que aguarda você e mais 5 mil pessoas é um ritmo alucinante à mente e ao corpo. Trance, Future House, Psy, Hardstyle. Altíssimos beats, frenesi de sensações, pés para jogo. É quando o jogo te coloca de cara pra grade. É um espaço de entrega e imersão. Vale cada segundo.

Poderia ser aqui um épico happy end para a jornada. Exausto, procurar o caminho do descanso. Mas o Untold foi feito para todos e, caso você não tenha aproveitado esses momentos, ele deixou um resto de jornada por cumprir. No Earth Spirit e no Team, você experimenta pequenos espaços de diversão, de muito espiritualismo, de vibes leves, de ideias, de papo e boa música. É um congraçamento de pessoas que estão conhecendo e provando de novas culturas e sonoridades e também o show de abertura pro ambiente mais charmoso de todo o Untold: o Nostalgia.

No palco que mais parece um rádio, as vibez são dedicadas aos anos 90. Grandes momentos da década, sons marcantes dos mais diversos gêneros. De Depeche Mode até Ricky Martin, nada deixa de ser tocado e vivido nesse espaço que atende carinhosamente 4 mil pessoas. É, mesmo, um final inesperado e divertidíssimo para quem experimentou de tudo em poucos metros de chão e em apenas um evento. Apostar na democratização da diversão sob qualquer aspecto é um afago incrível do Untold. É impossível não exaltar tanto cuidado e respeito com cada tipo de fã, com cada ideia, gosto, sentimento, momento e forma de curtir um show.

O portão para dizer adeus já mostra as caras, mas você ainda vê que o mainstage se abrilhanta com fogos, o amanhecer acalenta o cansaço e a loja de souvenirs te tenta a levar um pedacinho daquela magia toda pra casa. Não se mente num review que a camiseta veio na mala, que os olhos marejam com o final de uma jornada tão sinestésica e que o Untold é a magia escancarada para quem quer viver. Sem medo, sem receio, sem tamanho, sem preconceito. O melhor dos mundos, num mundinho só. Se em textos assim dizemos se vale ou não a pena vivê-los, eu só posso assegurar que cada linha é um pedaço de memória cheio de carinho. Afinal, nada tão bom quanto democracia no nicho.

E se você sonha em viver uma experiência como essa, entre em contato com a Agência Never Ends, a única credenciada oficialmente aqui no Brasil com pacotes para o Untold Festival!