De Belém, conheça o DJ e produtor FER

Na cena desde 2021 com o projeto solo, FER resolveu mudar o rumo de sua história e aqui conta sobre seus últimos lançamentos e o que vem por aí!

TRACK DA SEMANA:

Gabriel Fernandes Rodrigues, a.k.a FER, é natural de Belém, no Pará. Desde muito jovem, é amante da música. Herdou esse amor do avô, que era musicista. Seus primeiros passos foram na bateria, instrumento que aprendeu a tocar ainda muito menino. Já com 10 anos, conheceu a música eletrônica através de nomes como Eskimo, Paranormal Attack e tracks de Hardstyle, além, claro, do Big Room.

Conheci o Tomorrowland nesse período também – sonhava em ir pro festival, pra mim era mágico ver os vídeos teaser e acompanhar os sets na internet, hoje sonho em tocar por lá… já pensou? Não custa nada sonhar. Foi aí que conheci o Hardwell, Tiesto, David Guetta, Afrojack, Bingo Players, Martin Garrix, Zedd e muitos outros.”

FER começou a estudar produção no ano de 2017, dois anos após iniciar sua carreira como DJ. Tudo começou com o curso Make Music Now, de Felippe Senne, elogiado pelo jovem produtor, que também se declara fã de nomes como Boris Brejcha, Daft Punk, Swedish House Mafia, Eddy M, Puka, Dennis Cruz e muitos outros!. Além de ser influenciado por sonoridades que vão do House ao Techno, passando pelo Tech e Deep.

A sonoridade que tenho com maior referência desde o meu início de carreira é o Tech House, por conta do groove e do swing, é o que faz as pistas dançarem, não é mesmo? O Tech House é o que eu percebo que me encaixo com maior facilidade, tanto nas minhas produções, como na discotecagem, onde a minha percepção de feeling é mais apurada. A levada do gênero é o que dá o ‘charme’ nas pistas, é onde você percebe as pessoas ‘swingando’, o que pra mim é o ápice!”

FER detalhou sua história, que começou em 2018: 

Ingressei no projeto chamado BIRDS, eu e mais 2 amigos de Belém. Tivemos a grande alegria de lançar um single pela gravadora do Senne, a Hub Records, em colaboração com o meu amigo Santti. Criamos ela a partir de um sample de carimbó – estilo da nossa região – e fomos transformando em uma pegada atual, com um bassline e kick bem imponentes, voltado pro Tech House”. 

Foi um marco pra nós, esse período, saímos em vários portais relevantes da época, tivemos um destaque na própria escola Make Music Now, como novos talentos de Belém do Pará, isso pra nós foi de suma importância, foi onde vimos o nosso sonho começando a se realizar, foi maravilhoso viver esse momento. Hoje não estou mais no projeto, preferi seguir carreira solo, mas o projeto ainda existe”.

Ele também lembrou de seus trabalhos anteriores já com o projeto FER: 

Com o FER, tive o privilégio de lançar o remix de ‘Hope’, do The Chainsmokers, pela gravadora Le Musique, que hoje ultrapassa a marca de 60k plays no Soundcloud, sou muito grato por essa conquista. Esse remix fiz numa pegada mais progressiva, com referência ao Meduza”.

Em 2021, lançou sua primeira música autoral chamada “For You”, pela gravadora Add Music, filiada à agência Box Talents. Uma composição que segue o estilo progressivo com elementos do Progressive House. Seu lançamento mais recente é ‘Thong Song’, de Sisgó, clássico R&B dos anos 2000, produzido pela gravadora ‘O Problema É Grave’.

Confira o bate-papo completo:

Nos conte sobre sua série de sets periódicos:

FER: Possuo sets gravados no meu Soundcloud. Criei uma história nos sets chamado “The Library”, nada mais é que Biblioteca, referência a biblioteca de música do DJ. Nos meus sets, vocês vai encontrar um campo vastos de bons sons, dançantes, melódicos, passeando por todos os gêneros, mas sem perder a harmonização, é o que mais preso nos meus sets, eles serem harmônicos, gosto de trabalhar com mixagens nos mesmos tons e escalas harmônicas, assim eu consigo transformar o set não apenas em um set comum, mas sim em uma experiência sonora e contínua.

Tenho um set live gravado no meu canal do Youtube, que gravei na Praia do Paraíso, em Mosqueiro/PA, região bem próxima à Belém. Depois vocês podem dar uma conferida!

Quais são seus próximos passos? Deixe aqui alguma novidade para o público!

FER: Meus próximos passos são continuar produzindo músicas boas e relevantes para o meu público. Manter o foco para alcançar os meus objetivos, penso em mudar de Belém para alcançar voos maiores, mas um passo de cada vez, tudo no seu tempo. Quero que 2022 seja o ano para colocar o FER no radar dos maiores circuitos do Brasil, como Festivais, clubes, tudo que o FER mereça estar.

Conte algumas curiosidades para o público conhecer mais sobre você:

FER: Toco desde 2015, já dividi cabine com vários artistas, desde Vintage Culture à Alesso. Fiz warm-up para Bhaskar, Shapeless, Jord, Zuffo (meus conterrâneos e amigos), Evokings, Gabe, Lazy Bear e vários outros.

Fui residente de vários clubes em Belém e região, como: Woods Belém (2018), Zin Beach Salinas (2017/2018). Toquei em grandes festivais de nome na região norte, como: Tijuca New Experience (2017), Sollares Festival (2016) e outros. Toquei também em várias cidades do Pará, como: Marabá, Tomé-Açú, Tucuruí, Paragominas, Jacundá, além de Macapá, no Natal de 2017, logo após o Tijuca New Experience. 

FER começou 2022 com tudo, com direito a top 30 no Hypeddit com seu remix de Thong Song. Curtiu conhecer mais e melhor o trabalho dele? Então, clique aqui e faça vibez ao som de FER.

CONTINUE CONECTADO COM O FER: INSTAGRAM | SOUNDCLOUD | SPOTIFY