Foto via Assessoria

Fã de Trance? Então saiba 3 curiosidades por trás do novo álbum de Camacho, Metamorfose

Última atualização:

Henrique Camacho é hoje um dos nomes de referência quando se pensa em Trance no Brasil. Natural de São Paulo, encontrou muito cedo, nos clubes da Barra Funda, a influência que o faria perseguir uma carreira artística pela música eletrônica, e aos 16 anos recebeu a primeira chancela de prodígio, ao vencer um concurso da XXXPerience.

Agora, coleciona passagens por palcos de festas e festivais como Atmosphere Festival, Cyclus Festival, Great Indian Gathering, Psychedelic Circus e Klangwelten, além de um catálogo consistente de composições de flutuam entre o Progressive Trance e o Hi-Tech. 

E é nessa linha que segue seu mais novo álbum, lançado na última sexta-feira (25). Intitulado “Metamorfose“, o disco de oito faixas rompe com padrões sonoros, apresentando em cada track uma diferente característica, sem se prender a vertentes específicas ou número de BPMs.

Aqui, Camacho reafirma seus pilares musicais – harmonia, conexão e dança – de maneira original e verdadeira, passeando por produções ora melódicas, ora sóbrias, céleres e também explosivas. 

Ficou interessado em saber mais sobre a produção desse álbum? Então confia 3 curiosidades que o artista compartilhou com a gente sobre “Metamorfose”: 

1. Participação familia

A última música tem a voz do pai da minha esposa, de um áudio que ele mandou pra ela dizendo, “que todos os seus sonhos e projetos se realizem”.

2. Influências do Reggae

A produção do álbum começou com “My Weed Trip”, com um tema de reggae… foi a primeira música a ser finalizada.

3. Identidade Visual criativa

Todo o material visual do álbum foi feito a partir dos meus traços, retirado de uma foto tocando em um evento.

Acompanhe Henrique Camacho também pelo Instagram.

Por Louise Lamin