Graves macios e pegajosos e atenção aos detalhes: conheça o som de Lemex

Última atualização:

De um tio DJ, que tocava em festas de casamento no Paraná, surgiu a curiosidade em seguir carreira na profissão.

O garoto de Curitiba, que queria ser militar, acabou se apaixonando pelo ofício, e aos 21 anos, desponta como um dos principais nomes da cena eletrônica de sua região. Esta é a história de Matheus de Sousa Costa, mais conhecido como Lemex, que acaba de lançar “Never For You” pela Deep Insane. Ouça aqui..

Eu sempre frequentava as festas de casório em que meu tio tocava. Certo dia, ele me deu a oportunidade de tocar sozinho, e desde então eu amei incondicionalmente a música, por ver as pessoas felizes”, conta o artista, que já vem tocando e lançando material próprio há quase cinco anos.

Inspirado por nomes que vão de Purple Disco Machine e Louie Cut a Gigi D’Agostino e Vengaboys, Lemex encontrou sua sonoridade no escopo da bass house, caracterizando-se por graves macios e pegajosos, bem como pelo cuidado com os mínimos detalhes.

Seus principais resultados começaram a aparecer nos últimos dois anos, sobretudo com dois hits que tiveram mais de um milhão de plays no Spotify: “And To The” e “Dangerous” — ambos lançados pela própria gravadora, Deep Insane, em 2020. Outro sucesso foi “Interference”, collab de 2021 com o Almanac que abre o EP “Red Universe Vol.1”, da HUB Records.

No último dia 03, ganhou a luz sua mais nova criação: “Never For You”, também pela Deep Insane, com bass recheado, batidas marcantes e elementos sonoros discretos que preenchem os espaços de silêncio — outras das características marcantes do carismático produtor. A música ainda ganhou vídeo oficial, que você pode ver no player acima.

Conquistei um público fiel com as minhas faixas. É surreal ser admirado, amado, e acolhido pelas pessoas através da sua arte”, declarou Matheus. Mas sua maior conquista, talvez, seja o fato de ter sua vida salva pela música:

Além da HUB, teve a oportunidade de assinar com labels como UP Club, Muzenga Records, LowFreQ, Collective, Green Deep e Prophecy. Assim, colheu suportes de nomes como Ashibah, Chris Lawyer, Future Class, Pimp Chic e Hot Bullet, foi atração em clubes e eventos como Pimp Reset, Amazing Beats, Sunflower, The Place, Matahari, Field Club e Sungai, e teve a oportunidade de integrar o roster de uma das maiores agências do país: a Plusnetwork.

Já fui muito inseguro e depressivo, e a música me salvou. Sou uma pessoa muito melhor hoje em dia graças aos amigos e às boas pessoas que ela me proporcionou”.