Off the Stage como funciona a produção artística Milena Paiva explica

Off the Stage: como funciona a produção artística? Milena Paiva explica!

TRACK DA SEMANA:


Da roda de negociação aos desafios logísticos das incansáveis horas de produção artística: este foi o caminho nada convencional trilhado por Milena Paiva, hoje responsável por tirar do papel as famosas festas do grupo AME/Laroc! 

Milly, você trabalha como produtora artística. Pra fazer uma breve introdução, o que faz esse profissional e quais são as suas responsabilidades? 

Milena: Basicamente entender as necessidades do artista e da sua equipe, além de providenciar o necessário para atendê-los antes, durante e depois do evento.

Tudo começa com a recepção dos riders de hospitalidade e técnico (documento que compila todas as características técnicas e lista de pedidos para o conforto do artista no dia do show)!

É a partir daí que a noite começa a sair do papel e que são acionados os fornecedores, os parceiros e a equipe técnica da casa para que possam ser repassados os pedidos de cada artista. Equipamentos, comida, bebida, acomodação, horários, voos, transporte, etc. Como produtora, sou a responsável por intermediar todo esse processo.

Como você começou a carreira no mercado da música eletrônica? Recentemente você contou que já trabalhou como booker, conta pra gente um pouco da sua história!

Milena: É verdade! De 2007 a 2010, fui booker da agência Trade Sound e, em paralelo, também participava de forma ativa no dia do evento como stage manager nos festivais do grupo No Limits (XXXPerience e Orbital).

Em 2011, abri, em sociedade com a Monique Dardenne (hoje por trás do Women’s Music Event), a Modular Management, uma agência de DJs através da qual tive a oportunidade de trabalhar com, além de grandes nomes da cena eletrônica, artistas de outros segmentos da música, como o americano Snoop Dogg e o rapper Pitbull.

A maternidade chegou e decidi me dedicar em tempo integral aos meus filhos Enrico (8 anos) e Gael (4 anos). Em 2017, fui convidada a voltar ao time do XXXperience Festival, desta vez como produtora artística. No ano seguinte, surgiu a oportunidade de trabalhar, inicialmente, com a parte logística dos artistas que se apresentariam no Laroc Club. Essa foi a porta de entrada para, em meados de 2019, eu assumir a produção artística das 3 casas do grupo (Laroc, Ame e Folk Valley).

As funções de um produtor artístico variam de um trabalho para outro?

Milena: Sem dúvidas! Faço parte de um time e, como em todo time, a divisão de tarefas é algo fundamental para que o resultado ideal e esperado seja alcançado e, por que não, superado!

Ser produtora artística me possibilita trabalhar em diferentes frentes dentro de um mesmo evento. Numa noite, posso assumir exclusivamente a produção de camarim, em outra, cuidar apenas da logística artística, e por aí vai.

Quais qualidades não óbvias esse profissional precisa para ter excelência no que faz?

Milena: Ser capaz de entender necessidades de diferentes pessoas e encontrar o equilíbrio para fazê-las acontecer dentro de uma realidade que atenda a expectativa da parte mais importante de uma noite, o público! 

De todos os eventos em que você já trabalhou, qual foi o mais inesquecível?

Milena: Essa é uma pergunta bem difícil, pois todos os eventos deixam alguma marca, alguma lembrança, mas acredito que o último Ame Laroc Festival vai ficar marcado pra sempre. Após 6 meses de planejamento, muitas horas de trabalho e poucas de sono, cuidar da produção artística de um festival de 3 dias seguidos foi bem desafiador!

Você agora está com um projeto novo que é o Zoom Nelas, conta um pouco sobre ele pra gente.

Milena: Isso mesmo! O Zoom Nelas é composto por 4 mulheres: eu, Tânia Saraiva (Tune Agency), Denise Klein (Nova Bookings) e Andréia Batista (Box Talents).

Resolvemos nos unir para dar voz aos profissionais que ralam por trás da cena para que o público tenha a melhor experiência possível, e para mostrar um pouco mais do nosso trabalho, além, é claro, de destacar outros que admiramos e abrir espaço para conhecer novos.

O que você tem feito durante a pandemia?

Milena: No começo, foi bem difícil entender a nova rotina, e confesso não ter sido fácil desacelerar a zero vindo de um ritmo frenético de trabalho.

Tenho procurado me manter informada de todas as notícias da cena da música pelo mundo, de como os eventos estão se reinventando e, claro, me mantenho otimista e preparada para um possível retorno. 

Temos aproveitado essa “calmaria” para planejar o calendário de 2021 com bastante tranquilidade, e é isso que me motiva, olhar para frente e saber que vamos voltar com muito mais força, dedicação, e dando muito mais valor ao que fazemos.

Pra encerrar, Milly, quais principais dicas você daria para quem quer trabalhar como produtora artística?

Milena: Eu sempre mergulhei fundo em tudo aquilo que me propus a fazer. Comecei do zero, vim do público, era apenas uma amante da música e dos festivais, e desde cedo aprendi que toda aquela diversão era produzida por alguém de extrema atenção e dedicação!

Eventos precisam de pessoas, e pessoas precisam de pessoas! Lembre-se de que todos da sua equipe podem te acrescentar algo e, principalmente, engrandecer o evento!

E aí, curtiu entender mais sobre essa profissão da cena eletrônica? Comente! E, se você tem interesse em saber mais sobre outras profissões, não desgruda da Eletro Vibez!

Revisado por Hector Lopez