lucca morbin wicked dj entrevista vibez trance
Na foto: Wicked via divulgação

[PREMIERE] Conheça ‘Killswitch’, EP de estreia do projeto paulistano Wicked

Inspirado em grandes expoentes dos sons melódicos e cheios de sentimento, Lucca Morbin, um paulistano que tem sonhos ousados pra sua carreira, bateu um papo com a Eletro Vibez para contar sobre seu projeto ‘Wicked’, uma identidade de trabalho que tem a capacidade de surfar entre vários estilos e sonoridades. Lançando seu mais novo EP, Lucca detalhou cada etapa da produção nessa edição especial da #PremiereVibez.  

Tendo Deadmau5, Prydz, Ben Böhmer, Above & Beyond, Yotto e Lane 8 como referências, Lucca contou que seu amor pela música eletrônica aconteceu depois de um evento, o encontro que mudaria sua vida pra sempre. 

Como fã de música eletrônica, consolidei meu gosto musical na primeira festa que fui, a XXX, em 2017, durante a qual imediatamente me apaixonei por tudo o que a música e o festival representam e nunca mais quis fazer outra coisa”, explicou. 

Seu início na cena foi através dos estudos dedicados:

Comecei a discotecar há quatro anos, na escola de DJ da saudosa Clash Club, sob a tutela de Syl Balzer. E, desde 2016, venho tocando e organizando festas para a cena Progressive House e Trance, como a ‘No Labels’ e ‘Trance Tonight’. Desde 2019, venho me dedicando aos estudos profundos de produção musical para lançar tracks autorais e contribuir para a cena”, detalhou o dono do projeto Wicked. 

Buscando sempre promover emoção para que o ouvinte sinta seus sons à flor da pele, independente da track, Wicked agora mostra seu novo álbum, o ‘Killswitch’. E para detalhar o que o ouvinte encontrará nesse material, ele contou sobre cada uma das tracks:

A track título do EP, ‘Killswitch’, é considerada minha “Opus”, um divisor de águas em minhas produções. ‘TIDDA’, da língua aborígene, Irmã, é uma homenagem a minha irmã mais nova, Julia. ‘Burning Thoughts’: eu quis produzir uma track mais “pesada” para o EP, com inspiração em artistas como ReOrder e RAM e, por fim,  ‘To The One I Loved’ é a minha carta de amor a uma pessoa muito especial, porém, no EP, será lançada a versão Instrumental. A original, com os vocais da artista Rebeca Louise, sairá em breve.”

Muito feliz com a conquista, Wicked registrou por aqui a sua gratidão com as gravadoras por trás do lançamento:

Gostaria também de agradecer a Nano Tech Records e Azura Recordings por terem me abraçado na família que é a gravadora. Agradecendo principalmente o label manager Guto Putti. Vem muito material com eles no futuro”. 

O processo de criação, desde os primeiros conceitos, foi de três meses, além de um mês até a assinatura com a gravadora e mais dois meses até o lançamento. Já animado com a sequencia pós EP, Lucca contou sobre seus próximos passos:

Tenho alinhado, até o final do ano, o lançamento de pelo menos mais 5 a 8 tracks, dentre elas, ‘Hellbent’, ‘Starry Night’, ‘Jungle Paradise’ e muito mais saindo pela minha própria gravadora ‘Blind Justice’ Recordings”. 

Prometendo novidades e já esperando o seu apoio para fazer vibez ao som de ‘Killswitch’, Lucca deixou um recado para todos os fãs da boa música eletrônica feita aqui, com a marca brasileira. 

O Wicked não irá permanecer em apenas uma linha de som, o mascarado irá criar tracks de onde a inspiração vier, variando do Melodic Techno até o Liquid Drum’n’Bass, ou que vier pela frente. É uma caixinha de surpresas!”.

SIGA O WICKED POR AÍ:

SPOTIFY | INSTAGRAM | FACEBOOK | SOUNDCLOUD