saindo da curva felix jaehn
saindo da curva felix jaehn

Saindo da Curva: Saiba quem é Felix Jaehn e conheça o seu som

Alemão oriundo de Hamburgo, Felix Kurt Jähn, dono do projeto Felix Jaehn, é um DJ e produtor especializado em Tropical House. Contudo, no início de sua vida se aproximou de outro tipo de melodia. No caso, Jaehn adentrou no mundo da música clássica com aulas de violino logo aos 5 anos de idade.

Apesar de seu amor pelo instrumento continuar até hoje, ele conheceu o cenário eletro-musical um bom tempo depois, quando começou a produzir sets e realizar shows por volta de 2011, época em que possuía somente 16 anos. Logo em seguida, adentrou na sede da Point Blank Music College, escola de música que oferece diversos cursos de música eletrônica e engenharia de som localizada em Londres, na Inglaterra, onde o jovem alemão morou por um ano.

Após adentrar no curso de Administração de Empresas na Universidade Humboldt, em Berlim, na Alemanha, Jaehn desistiu dos estudos e optou por apostar na carreira como DJ e produtor musical. Aos 18 anos, lançou seu primeiro single em 2013, denominado como “Sommer am Meer”. 

Com a maioria das músicas sendo divulgadas por meio de suas redes sociais, Jaehn não demorou muito tempo para ganhar apelo do público. Em 2014, por exemplo, ganhou notoriedade quando lançou “Eagle Eyes” em colaboração com Lost Frequencies & Linying, que também o ajudou no single “Shine”, lançado naquele período. Além disso, divulgou, em uma produção individual, a track “I Do”.

Por outro lado, foi em 2015 quando Jaehn finalmente despontou para o mundo. Ao todo foram dois singles de renome, como “Dance With Me” e “Eagle Eyes”, além do clássico remix de “Ain’t Nobody”, intitulado como “Ain’t Nobody (Loves Me Better)”, que estourou internacionalmente nas paradas europeias e fez com que o produtor alemão assinasse, na época, com a gravadora Universal Music.

Ainda no mesmo ano, Jaehn lançou, ao lado do cantor alemão, Mark Forster, um projeto musical chamado de “Eff”. A primeira e única música divulgada pela dupla foi “Stimme”, que liderou os principais canais de música eletrônica na Alemanha, Áustria e Suíça por três semanas consecutivas. 

Ademais, vale ressaltar as grandes produções de Jaehn também lançadas em 2015: “Book Of Love” com a cantora-compositora Polina e o remix de “Cheerleader”, do cantor-compositor OMI. Aliás, a canção remixada foi um dos marcos para que o DJ alemão conseguisse deixar de ser uma promessa e se consolidasse, de vez, como um produtor musical de destaque no cenário eletro-musical.

Em 2016, Jaehn estreitou os laços com o mundo futebolístico e colaborou com Herbert Grönemeyer em “Jeder für Jeden” (Everyone for Everyone), que foi a canção oficial da seleção da Alemanha na Eurocopa daquele ano. No caso, o single teve a participação de nomes importantes da equipe, como Mario Götze, Marco Reus, André Schürrle, İlkay Gündogan, Christoph Kramer, Bastian Schweinsteiger, Sami Khedira, Jérôme Boateng, Manuel Neuer e Kevin Trapp. Todos deram suas respectivas opiniões durante a produção e aparecem no clipe da música. 

Inclusive, Jaehn revelou que mantinha contato com alguns deles antes mesmo de produzir o single, chegando a ter um grupo no WhatsApp. A título de exemplo, Götze e Schweinsteiger já foram vistos diversas vezes ao lado do produtor alemão e nunca esconderam a admiração por ele, até mesmo nas redes sociais.

Além disso, Jaehn lançou mais duas músicas importantes em 2016, como “Cut the Cord” e “Bonfire”. E ainda colaborou com Mike Williams em “Feel Good” e com Hight e Alex Aiono em “Hot2Touch”. Todas, incluindo a grande maioria das músicas anteriormente citadas, encorparam as 25 tracks do álbum intitulado como “I”, lançado em 2018 pelo produtor alemão.

De 2019 pra cá, Jaehn segue dando ênfase para as produções musicais. No geral foram oito músicas de destaque: “Keep Your Head Up”, “LIITA”, “All the Lies” com Alok, “Love On Myself”, “Never Alone”, “Close Your Eyes”, “Thank You [Not So Bad]” e “SICKO”.

Algumas constaram com colaborações de outros produtores de destaque, como Alok, que por sinal era um dos grandes desejos do próprio DJ alemão produzir com o brasileiro, e outros que estão surgindo agora, como Mesto.

Ainda que esteja nos seus 25 anos, Felix Jaehn está com quase dez anos de carreira e possui uma bagagem de respeito no que se refere a produções musicais. O alemão é um dos principais nomes do Tropical House e contém um estilo único, com um som natural e leve, que alterna entre algo próximo da junção entre Electro Pop, Dance e Future House.

O QUE ELE TOCA?

Tropical House, Electro Pop, Dance e Future House

OUÇA SUAS TOP 3 TRACKS:
SET MAIS CHEIO DE VIBEZ:

SIGA O FELIX JAEHN POR AÍ

FACEBOOK | INSTAGRAM