Set de Liu no Lollapalooza bate 6 milhões de plays e torna-se o mais visto no mundo do festival

O set conta com 6 milhões de visualizações no Youtube! Confira nosso bate-papo com Liu sobre esta conquista e mais!

Última atualização:

Seguido e idolatrado por uma legião de fãs, dono de uma sonoridade ímpar e uma energia que não se descreve, apenas se sente, Liu é uma figura única presente nos principais clubes e festivais do país.

Em entrevista exclusiva para a Eletro Vibez, ele nos conta um pouco sobre sua carreira e comenta também sobre a conquista de possuir atualmente a marca do set do Lollapalooza mais visto no Youtube – um feito para poucos.

INÍCIO NA MÚSICA

Liu teve o primeiro contato com a música eletrônica aos 11 anos, com as primeiras referências do ainda jovem descobridor da cena eletro-musical sendo Benny Benassi e Skrillex. 

A forma que eu tinha para botar tudo o que eu tinha dentro de mim era a música, sempre foi, né? Eu sempre fiz a música com muito amor e carinho, algo que me fez bem. Eu entrei na música eletrônica fazendo produção. Aprendi sozinho, lendo e fuçando, virou meu parque de diversões”.

Conforme o passar do tempo, Liu precisou fazer escolhas importantes e decidiu cursar Engenharia na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em Florianópolis. Morando sozinho, percebeu que não era aquilo que ele queria para o futuro. Então, surgiu a opção de utilizar a paixão pela música eletrônica como futuro profissional. 

Decidi que queria fazer engenharia. Eu era um moleque ali, fazendo um som com tanto amor, e fazendo faculdade. Aí no meio da faculdade, chegou um momento em que vi que aquilo não era pra mim. Tipo, tem gente que gosta de colecionar coisas, tem gente que gosta de correr, malhar. Eu também, mas o meu negócio era fazer música eletrônica”. 

Nesse momento da minha vida, eu já tinha tido alguns movimentos com a música e havia lançado um remix do Calvin Harris que já tinha bombado. Tanto o Alok quanto o Vintage já tinham escutado sons meus e entrado em contato comigo via SoundCloud, mas nada sério”.

TOMORROWLAND E MUDANÇA DE RUMOS

Com a ascensão da track “Don’t Look Back”, lançada em 2016, Liu recebeu seus primeiros convites para tocar. Mal sabia ele que, então, viriam dois convites que mudariam sua vida.

O primeiro foi um convite para fazer parte do casting de uma agência de música, enquanto o segundo foi o convite – de nada mais, nada menos – do que Alok, que o chamou para tocar com ele no palco do Tomorrowland Brasil, realizado naquele mesmo ano, em Itu, em São Paulo. A partir daí, a vida de Liu nunca mais foi a mesma.

Eu tive que tomar uma decisão na minha vida. Pensei: o que eu vou fazer? Será que continuo na faculdade? Será que largo tudo? Resolvi trancar a faculdade, já que tinha dois anos pra fazer minha carreira virar. Pensei em tentar fazer acontecer. E aconteceu”.

É muito doido como uma música pode trazer visibilidade. Ninguém sabia quem eu era, mas a galera conhecia minha música. E aí começou um trabalho de, efetivamente, mostrar o meu trabalho pra galera, com a minha cara, novas músicas, fotos, trabalho de marketing bem feito. Aí tudo realmente começou. Eu fui introduzido para todos os envolvidos na cena e acabei fazendo parte dela. As coisas viraram da água para o vinho. De um moleque desconhecido para, do nada, um DJ que todos conheciam”.

Como esperado, a sensação de tocar na Tomorrowland foi especial para Liu. O DJ revelou que se emocionou com a presença de familiares e amigos de infância no show, mas que a ficha só caiu quando percebeu o movimento massivo do público para prestigiá-lo. De acordo com ele, mais de 7 mil pessoas estavam presentes.

Minha mãe, meu pai, meus irmãos e meus amigos de infância por lá e eu tremendo, sem saber o que fazer. Na época, eu não era experiente Não tinha equipe, não tinha nada. Estava 100% ali, somente eu e mais ninguém. Na hora que eu dei o play na primeira música, comecei a chorar. Fiquei emocionado. Foi a primeira vez que eu pensei no que estava sentindo. Não fazia ideia do que era, mas eu agradeço até hoje, à Deus, por tudo isso que aconteceu”.

Como reflexão, estar na Tomorrowland foi algo mais do que especial para Liu. Foi a confirmação de que tomou a decisão correta ao trancar a faculdade e apostar no sonho de viver da música eletrônica.

LOLLAPALOOZA

A relação de Liu com o festival no qual seria, anos depois, dono do vídeo mais visto da história, começou muito cedo.  O Lollapalooza é o primeiro evento do gênero no qual o ainda menino Christian foi, ao lado de seu irmão, o seu melhor amigo. Com 16 anos, assistiu ao show de Skrillex, e a experiência foi tão marcante ao ponto de mudar os rumos de sua vida para sempre. Tocar naquele espaço se tornou um grande sonho.

Lá no passado, quando meu irmão falou que ia me levar no festival, a gente não tinha tanta grana, então eu comecei a vender doce na escola. Comecei a vender palha italiana, lá, o meu chocolatinho, e virou a maior festa. E eu comprei o ingresso do Lolla vendendo doce na escola. Eu e meu irmão, ali, molecão, doidão, na base da alegria, curtindo o Skrillex. Isso me marcou muito”.

E o que era um sonho distante passou ao status de realidade no momento em que Liu vivia um grande sucesso chamado “Nave Espacial”, track com mais de 100 milhões de streamings e que carimbou o convite para assumir o palco do Lollapalooza.

Foi um momento que eu não acreditei que realmente aconteceu isso na minha vida, que aquilo tudo era real. Foram dois meses de muita dedicação. Eu reuni meu time pra gente fazer ideias pro show, pra gente ter um show inesquecível, histórico e atemporal. A gente juntou músicas antigas, com grandes hits marcantes, como por exemplo Avicii. A gente misturou músicas minhas atuais, tudo pra uma peça única. Contar uma história no set e fazer uma parada muito especial”.

Uma perda para sempre 

Mesmo com a perda de sua madrinha um dia antes do Lolla, Liu, com o apoio da família e dos amigos, entregou um show histórico que, em breve, viria a se tornar o mais visto da história do festival no Youtube. 

Eu fui pro Lolla muito mal, mas aí eu falei: ‘Não, cara. Preciso me recompor, preciso me entregar e levar muita alegria pra galera que tá na pista pra se divertir’. Sinceramente, foi a primeira vez que eu passei por isso na minha vida e eu não sabia como reagir. Quando eu vi a pista lotando do nada e não conseguia enxergar o fim, foi aí que a ficha caiu e pensei ‘chegamos aqui, sabe’, sabe?”. 

O show mais visto de todos os tempos 

Anos depois, essa apresentação épica foi vista por 6 milhões de pessoas no YouTube, alcançando o posto de show mais visto do Lollapalooza, em todos os tempos, na plataforma.

E a gente conseguiu soltar lives memoráveis, na Laroc, no Hopi Hari, num prédio em São Paulo. Teve a live no Rio Amazonas, um set no maior rio do mundo, o Rio Amazonas, primeiro set gravado num barco do Rio Amazonas também. Teve o set de Cancun, da Lamborghini. E o Lolla é o maior”.

ROCK IN RIO

O Rock in Rio foi inesquecível. Muito especial. É outro festival que eu sempre sonhei em tocar. E durante o Rock in Rio, eu cheguei de moto pra tocar. Fiquei bem mais de uma hora preso no trânsito, e simplesmente não andava. Comecei a me desesperar, saí correndo da van, parei um motoqueiro, implorei pra ele me levar pro Rock in Rio e ele falou que não dava porque eu tava sem capacete. Parei com outro motoqueiro, comprei o capacete dele, voltei, o outro motoqueiro voltou, e ele me levou pro Rock in Rio, de moto, de Rappi”.

Assim foi a chegada de Liu a um dos palcos que mais trouxe boas histórias para ele, como ser também dono do set mais visto do evento no YouTube, assim como no Lollapalooza. Mas até que tudo se tornasse uma grande alegria, ele passou por apuros.

Cheguei no palco de moto, também chorando, né, de emoção. Uma vibe simplesmente inexplicável. Nunca imaginei na minha vida que eu iria ter a hora, a benção de um dia subir no mesmo palco, no mesmo evento, de que lendas como Queen”.

Passagem pelos EUA

Recentemente, Liu esteve nos Estados Unidos a convite de amigos seus e passou por seis cidades.

Foi muito legal ver como a galera nos Estados Unidos conhecia o meu som, o que eu não estava esperando, porque a gente tá muito acostumado aqui com o Brasil, e eu não sabia que teria essa recepção lá fora. Em Miami, São Francisco, a galera cantava a música. Em todas as cidades a galera cantava músicas, em inglês e em português”.

Por lá, Liu teve a oportunidade de fazer contatos e produções relevantes, como a parceria com Post Malone.

Fui produzir no estúdio do Post Malone, lá em Los Angeles, e gravamos um set por lá e outro em Hollywood. Pra mim foi muito especial. Foi como um break de toda essa parada bizarra que a gente tá vivendo de pandemia, de não poder sair de casa e ser um crime tocar. Lá as coisas estavam voltando ao normal 100%”.

PRÓXIMOS PASSOS

A gente vai passar em todas as cidades, vamos rever todo mundo, fazer long set, vamos matar toda essa saudade. Já estão marcadas, de norte a sul, outros países também. Turnê na Europa sendo marcada, muita coisa boa rolando. Estamos com muitas músicas boas, em especial uma track que tem uma vibe anos 80. E também tem track nova em português com grandes nomes, como Samanta Machado, uma track fortíssima. Tem muita coisa na linha”.

Com enormes expectativas, Liu e equipe contam que se prepararam muito pra essa volta. Assinado com a Universal Music, um caso raro na cena, ele projeta um 2022 grandioso para sua carreira e para os fãs.

Podem esperar que toda a ausência vai ser recompensada com shows, com lançamentos, com sets, com tudo o que temos de melhor para oferecer, sempre com muito amor e dedicação”.

CONTINUE DE OLHO NO LIU: INSTAGRAM | TWITTER