STMPD Records agita palco exclusivo no UMF e Julian Jordan, Florian Picasso e Dubvison comentam sobre momento, carreira e relação com o Brasil; confira

Última atualização:

A STMPD Records ganhou o mundo pelas mãos de seu dono e principal nome, o holandês Martin Garrix, e dando sequência à expansão da marca, ele e os principais nomes da label comandaram um palco exclusivo durante um dia de Ultra Music Festival, em Miami. Com fãs fervorosos, o WorldWide ficou sempre cheio de gente e de boas vibez. 

Ao longo do dia, entre um show e outro, Julian Jordan, Florian Picasso e Dubvision passaram pelo microfone da Eletro Vibez para papos exclusivos sobre expectativa, sobre retorno aos grandes palcos, sobre a relação com o Brasil e muitos outros detalhes que você passa a descobrir a partir de agora. 

Julian chegou com uma tala na perna direita, mas com sorriso fácil e muito bom humor. Logo de cara, fez questão de celebrar a chance de retomar eventos como o Ultra:

Feliz de voltar, me sinto abençoado de vir a um evento como esse. Desde minha última passagem aqui (no UMF), construí mais e melhor quem sou como artista, trabalhei muito e criei fanbase, o que me deixa muito mais seguro para tocar e produzir.”

Julian fez questão de lembrar o que pensou durante a pausa para a pandemia e como se sente ao viver um grande festival novamente.

Agora, pessoas me param e me perguntam sobre meu trabalho e sobre meu set, é o que sempre imaginei. Dois anos atrás eu estava apenas trabalhando em música para estar em algo como agora”.

Fã incondicional de caipirinha e de churrasco, Julian elogiou o duo Cat Dealers e também o DJ e produtor NUZB, nomes de referência no Brasil. Por fim, ele fez questão de gravar uma mensagem ao povo brasileiro, agradeceu pelo suporte e pelo carinho, além de prometer que passará pelo país em breve para apresentações especiais e cheias de vibez, como sabe muito bem fazer.

Enquanto nos despedíamos e desejávamos melhoras para ele, que caminhava com dificuldade, vimos chegar Stephan Leicher, metade do duo Dubvision, já preparado para falar com a imprensa presente no iate dedicado às entrevistas no Ultra Music Festival. Simpático, ele logo explicou o motivo de estar sozinho para o bate-papo:

A razão por eu estar aqui sozinho é porque meu irmão está finalizando uma track com Martin Garrix, que lançaremos aqui, hoje (no Ultra). Nossas colaborações tem dado bons resultados e essa nova foi bastante elogiada por alguns amigos e DJs que ouviram durante o período de produção. Estamos ansiosos para que o público conheça.”

Stephan é um entusiasta do cinema e elege Pulp Fiction como a maior obra já produzida nas telonas (o editor aqui concorda muito com isso!), e adora falar sobre o Brasil e sobre o brasileiro, povo pelo qual tem muito carinho. 

Eu amo o Brasil, adoro o povo brasileiro e não vejo a hora de voltar a tocar por lá. O público é muito especial, sempre cheio de energia para compartilhar com o DJ que está no palco, seja tocando o som que for. Me sinto abraçado e toda vez que puder, estarei tocando no Brasil. Em breve, voltaremos”.

Enquanto se despedia para ir ao palco, que já o aguardava, Stephen fez questão de elogiar Vintage Culture, sugerindo uma colaboração futura, ainda que em tom de brincadeira. Com o relógio apertado, Stephen saia e Florian Picasso se disponibilizou para falar brevemente com a imprensa, fechando o circuito de bate-papo com os talentos da STMPD.

Mais sério e tímido que os colegas, Florian, de sobrenome tão artístico e representativo, se disse animado em falar com o povo brasileiro, elogiou a dupla KVSH e Pontifexx, se disse fã de Vintage e Alok e sugeriu estar vindo ao país muito em breve para alguns shows.

Estou muito animado de trocar no UMF, estar no palco com Garrix é um privilégio, estou muito animado por estar aqui e viver esse momento tão importante”.

Apressado pelos compromissos, Florian precisou se despedir e seguir caminho rumo ao palco onde tocaram Martin e seus companheiros de label, mostrando muito, mas muito carinho com o público presente, numa festa quase particular e super intimista, mesmo em meio a um imenso festival. Vibez são feitas por conexão real e o palco da STMPD tinha isso de sobra.