The Garden Records | Gravadora brasileira no #RadarVibez

Em meio aos eventos da label, surgiu a gravadora e a vontade de entregar música eletrônica, em 360º com a marca The Garden. Para falar sobre tudo isso, conversamos Rafael Ferreira, um dos fundadores da The Garden Records que, em menos de um ano de história, vem projetando novos talentos na cena brasileira. 

Leia a entrevista, conheça mais sobre a sua história e confira algumas dicas infalíveis para ter sucesso ao enviar uma demo!

Quem fundou a gravadora? Quando ela foi inaugurada? O que os inspirou a criá-la?

The Garden Records: A gravadora foi fundada por mim, Rafael Ferreira (RA7A BR), pelo Yan Brauer (Wolf Player) e pelo Roger Thiago e teve seu primeiro lançamento em 17 de abril de 2020.

Mas para falar do The Garden Records, preciso começar falando um pouco do The Garden. Sou dono e responsável pelo The Garden, que acontece há quase 10 anos aqui no Joinville Square Garden, em Joinville (SC) e é considerado, hoje, um dos principais eventos de música eletrônica de Santa Catarina. 

Chamo de evento porque acontece em média 2 vezes por mês no nosso centro de eventos e não é um Club. Porém, por abrir com essa constância, acaba tendo um comportamento e identificação do público como se fosse um Club.

Desde que fui para o ADE no ano de 2016, voltei com a idéia de transformar o The Garden em muito mais do uma festa “Club”, botei na cabeça que queria transformar a marca The Garden em um estilo de vida, uma conceito relacionado à música eletrônica, uma marca que parte do público jovem de Joinville, do Brasil, quem sabe do mundo, se identifica. 

Para isso, percebi que precisaria cercar por vários lados este conceito relacionado à música eletrônica, fazer um 360º com a marca. Seguindo essa linha de planejamento, ter uma gravadora é fundamental, nela estamos lançando músicas com as quais nos identificamos e acreditamos que fazem sentido na pista do The Garden.

A ideia é tirar essa identidade musical de dentro do The Garden e começar a espalhar pelo mundo. Imagine que quando você ouvir músicas do The Garden Records em qualquer lugar do planeta, você vai de certa forma identificar qual é o estilo que toca na pista do The Garden, ou melhor vai identificar qual é o estilo de vida relacionado ao The Garden. Como parte do meu plano para completar esse 360º com a marca, pretendo começar a fazer Tours com o The Garden pós pandemia, mas para isso funcionar da forma como eu imagino é fundamental ter essa identidade musical difundida pela gravadora. 

Onde está localizada a gravadora? O que vocês têm feito para fomentar a produção musical e artistas dessa região?

The Garden Records: A gravadora está em Joinville (SC) e em São Paulo (SP). Usamos muito os perfis que temos nas redes sociais, como o do The Garden “Club”, ADORE (outro evento que sou sócio), canais pessoais nossos, para estimular os artistas a nos mandarem suas promos. 

Vários artistas querem estar vinculados a estes eventos, sabem do potencial desses eventos no Brasil e querem ter lançamentos conosco. Pós pandemia pretendo estar relacionado estes artistas a Tours e festa que iremos fazer do The Garden Records. Com isso também passaremos a ter mais receita para investir em outros projetos que estão na pauta como The Garden Around (tipo um Cercle) e The Garden Live. Estes projetos virão para fortalecer artistas os quais queremos que estejam envolvidos com a gravadora.

Vocês possuem artistas-chave que gostariam de indicar para a galera acompanhar os próximos lançamentos?

The Garden Records: Os projetos dos artistas fundadores: 3 RA7A (BR), Wolf Player e Roger Thiago e também…e os novos talentos como Thonig, Plastic Robots, Snoouth, Krash! e Mistikke.

Como é composta a equipe de vocês?

The Garden Records: Hoje estamos nos 3 sócios cuidando da gravadora: Rafael Ferreira – CEO, Yan Brauer – A&R e  Roger Thiago – Community Manager.

Existe um som/subvertente ou uma ideologia comum que unem seus lançamentos?

The Garden Records: Nos identificamos bastante com House, Tech House, Deep House, Melodic House e Progressive House. 

Quais são as top 9 tracks lançadas por vocês?

1) Wolf Player – Your Savior (540.000 plays)

2) Doozie – Type

3) Roger Thiago – Machine

4) RA7A (BR) – Wrong Way

5) Mistikke, Snoouth – Thunder

6) Jovique – Calling

7) Feitoza (BR) – Runaway

8) Daivic – Ocean

9) Thonig – Make Me Feel

Qual é o conselho que vocês deixariam para quem quer enviar uma demo para vocês?

The Garden Records: Finalize a faixa antes. Jamais mande a faixa para análise sem mix e master, ou por acabar, só uma ideia… Além disso, pense sempre muito na versão streaming. Hoje em dia é nela que a gravadora vai ter o maior retorno.

Deixe algumas dicas do que um artista não deve fazer na hora de abordar uma gravadora:

The Garden Records: Enviar faixas inacabadas, faixas com vocais ou samples não autorizados, bootlegs. 

Curtiu conhecer mais sobre a história e as dicas da Lemon Drops? Quer ter a chance de lançar por lá? Siga as dicas e envie a sua demo para [email protected]!