Uma em cada três pessoas sofreram discriminação na pista de dança, de acordo com um novo relatório

Última atualização:

Um em cada três amantes da música em todo o mundo sofreu discriminação em uma pista de dança, descobriu uma nova pesquisa da Ballantine’s. O relatório surgiu a partir de respostas de mais de 2.300 amantes da música, abrangendo quatro continentes, e é encabeçado por um grupo de líderes da indústria reunidos, o True Music Collective.

O chefe de música da Ballantine, Tom Elton, reflete sobre os últimos 18 meses e os impactos da pandemia que inspiraram esta iniciativa:

Os últimos 18 meses viram a indústria da música ao vivo sofrer. Os bloqueios forçaram os fãs a ficarem em casa e reprimir o desejo de estar na pista de dança. À medida que o mundo começa a emergir da pandemia, temos a oportunidade de apertar o botão de reinicialização para reconstruir uma cultura musical para todos.”

De acordo com as constatações do relatório, esse movimento de mudança já começou. 3/4 das pessoas pesquisadas agora dizem que falariam se testemunhassem discriminação em um evento musical, e 89% acreditam que todos temos a responsabilidade de lutar contra a discriminação.

A pesquisa mostra o compromisso com a inclusão que faz parte do DNA da Ballantine’s, marca de bebida presente há mais de 100 anos no mercado global.

Todos nós temos um papel a desempenhar na jornada para a criação de uma indústria musical verdadeiramente inclusiva e isso é apenas o começo”. Concluiu Tom Elton.

Acesse aqui e confira o relatório completo da pesquisa realizada pela Ballentine’s.