vibez indica mochakk
Na foto: Mochakk via divulgação

#VibezIndica: Mochakk

Última atualização:

Pedro Maia, DJ, produtor e compositor, podemos assim dizer, de apenas 19 anos, é o nome por trás do projeto Mochakk. Seu som já chamou atenção de artistas como Illusionize e Victor Lou. Por isso, se liga na entrevista rápida que fizemos com ele e entenda o porquê ele é um artista que vem com tudo em 2019 e que você precisa ficar de olho!

O nome Mochakk tem alguma história por trás? Como se deu, e como surgiu a ideia de batizar o projeto com esse nome artístico?

Mochakk: Bom, Meu nome é Pedro Maia, e eu queria algo relacionado com meu sobrenome, então pesquisei sobre a mitologia Maia e achei um Deus chamado CHAAC, como gosto bastante de café coloquei o “MO” na frente pra fazer o trocadilho com café mocha e substitui o aac por akk, mantendo a fonética mas trazendo um visual diferente pra palavra toda, hahahahaha um pouco maluquice!

Cite algo que você admira na música eletrônica:

Mochakk: A liberdade timbrística! E a possibilidade de misturar síntese com instrumentação orgânica e chegar num resultado muito interessante!

De onde nasceu a ideia do projeto? Você teve algum artista que te inspirou para começar a produzir ou teve algum outro motivo que te fez querer entrar nesse universo da música eletrônica?

Mochakk: Eu comecei a produzir em 2014, refazendo beats de sons que eu gostava, até criar meus próprios beats e começar a tocar em algumas festas na minha região, tinha um outro projeto nessa época, mas quando cheguei numa qualidade maior de som e também numa identidade sonora mais forte resolvi começar do zero com o projeto Mochakk em 2017!

Referências musicais e artistas que te inspiram?

Mochakk: Timbragens sujas, seja no lo-fi hip hop, Techno numa linha como a do Enrico Sangiuliano, até um tech house mais “torto” como os sons Will Clarke, baterias mais groovadas e orgânicas como Kartell e Disclosure, com umas harmonias mais complexas e linhas de acordes puxadas do r&b e soul, grooves e timbres de leads dos funks e grooves da década de 70 e 80, lance meio disco, não sei dizer tanto! Me inspiro de todo canto!

Como você definiria o som que você produz?

Mochakk: Tech House Sujo com pitadas de Techno e breaks classudos, talvez? (risos)

Como funciona seu processo criativo?

Mochakk: Eu geralmente começo pelos breaks, se a track vai ter uma harmonia ou uma progressão de acordes mais complexa começo por isso e meio que deixo esse break me guiar pra decidir qual vai ser a “cara” do drop!

Qual o seu setup de produção?

Mochakk: Macbook pro 2008, Monitor pioneer DM-40, Novation Launchkey 25, Mic Arcano U200SB, Spire, Massive, Pack Izotope Logic Pro X.

Durante seu set, é possível ouvir quais tipos de músicas?

Mochakk: Tech House, Techno, Nu Disco, G House, Soulful House, meio que o que der na telha na hora! Não me prendo muito não, porém sempre mantendo uma coerência com o set!

SIGA O MOCHAKK POR AÍ: FACEBOOK | INSTAGRAM

Por Stefani Rocha com edição de Lorena Sá