vibezindica spect3r
vibezindica spect3r

#VibezIndica: SPECT3R

De Poços de Caldas, Minas Gerais, para todo o Brasil, a dupla SPECT3R é formada pelos irmãos Ana Luísa e Júlio César. Juntos, eles deram início ao projeto em 2018 e já colecionam tracks e colaborações de peso com artistas como JØRD, VINNE, ÖWNBOSS e Cevith.

Conheça mais sobre a história deles, referências, inspirações e mais, neste #VibezIndica!

O que influenciou vocês a entrarem no universo da música eletrônica?

Júlio: Nossa vida sempre foi muito ligada à música, toco violão desde pequeno e minha irmã canta desde que se entende por gente, crescemos ouvindo e tocando Rock, Pop e MPB! Quando eu estava na faculdade, comecei a ouvir música eletrônica e me apaixonei. Rapidamente decidi que queria saber como os sons eram feitos e mergulhei no estudo da produção musical! 

Ana: Sempre fui apaixonada música, especialmente por Pop, ouço desde muito pequena! Quando meu irmão começou a produzir música eletrônica, fui descobrindo esse novo universo junto com ele, começamos a gravar um vocal ou outro para fazer uns testes, até que também me interessei muito por produção e decidimos montar o projeto oficialmente!

Vocês fizeram algum curso para aprender a produzir ou foi na base da força de vontade, com tutoriais de youtube e dicas de amigos?

Júlio: Eu destrinchei os caminhos do YouTube, assistindo tutoriais, masterclasses, challenges de produção, etc. Tem uma quantidade enorme de conteúdo gratuito e incrível na plataforma, aprendi tudo o que sei (e ainda aprendo diariamente) por lá. 

Ana: Comecei um pouco mais tarde e também tive o YouTube como grande ferramenta, mas meu início efetivamente foi ao fazer o curso da Make Music Now, associado ao apoio e conhecimento do meu irmão. Estamos aprendendo muito até hoje.

Como e quando surgiu? 

SPECT3R: O projeto começou no final de 2018 com o lançamento da nossa música Butterflies, em parceria com o nosso grande amigo Cevith. Este início foi resultado de um processo natural de parceria entre irmãos, uma vez que gravávamos alguns vocais para usar de estudo em nossas próprias produções e percebemos que seria legal ter um projeto oficial como um duo.

Referências musicais e artistas que inspiram vocês? 

SPECT3R: Gostamos de beber das mais diversas fontes! Dentro da música eletrônica no Brasil, nos inspiramos muito em artistas como Vintage Culture, JØRD, Almanac, Mochakk, KVSH, Öwnboss, entre vários outros. Já dentre os Internacionais: Lost Frequencies, Ben Böhmer, CamelPhat, Peggy Gou, Jan Blomqvist, Disclosure, ZHU… A lista vai longe. 

Já pensando externamente à música eletrônica, navegamos muito no Reino do Pop e Rock, artistas como Billie Eilish, Michael Jackson, Dire Staits e Beatles estão no topo da lista dos nossos favoritos.

Como vocês definiriam o som que produzem?

SPECT3R: O nosso som consiste em uma mistura entre elementos de Progressive House e Tech House, o que resulta em breaks emocionantes/melódicos que culminam em drops dançantes e explosivos. Ainda assim, não gostamos de nos prender especificamente a uma definição, ou seja, podem sempre esperar nossa identidade e timbres presentes, mas cada música será uma leitura única do que estávamos sentindo na hora de compor e produzir! Se a vibe do som nos levar para outro gênero, não vamos nos importar.

Como funciona o processo criativo de vocês?

SPECT3R: Varia um pouco, mas uma regra é que sempre temos uma mínima ideia da base da track antes de começar a colocar letra (às vezes um break, drop ou algo no violão guitarra). Depois disso normalmente gravamos a voz, assim que a letra estiver concluída, e voltamos a focar na produção (usualmente voltamos no drop) até terminar o arranjo e acertar todos os detalhes. Tem um vídeo que mostra bem naturalmente o modo como criamos na prática: 

Qual o setup de produção de vocês? 

SPECT3R: Temos um MacBook Pro 15” 2015, um Fone HD25 da Senheiser, um par de monitores KRK Rokit 6, uma interface de áudio Focusrite Scarlett 2i2, um microfone Audio Technica AT2020, um controlador MIDI A49 da Native Instruments e as nossas DAWs: FL Studio, Logic Pro X e Ableton Live 10. 

Durante o set de vocês, é possível ouvir quais tipos de músicas? 

SPECT3R: A ordem em que os momentos do set acontecem varia muito de acordo com a festa, mas sempre caminhamos entre um Tech House dançante e um Progressive House bastante melódico. 

Cite algo que vocês amam na música eletrônica ou algo que ela mudou na vida de vocês: 

SPECT3R: A comunidade! A filosofia da música eletrônica em geral ser o ponto de união entre as mais diversas culturas, independente de nichos, ser um ponto de fusão e expressão!  O que, por sua vez, é uma própria forma de globalização do mundo da música, onde sonhos são palpáveis!

Indique suas duas produções próprias favoritas: 

SPECT3R: Dentre as lançadas: “Let You Down” e “Look At The Stars”. 

Dentre as não lançadas, temos algumas queridinhas, inclusive uma super collab que fechamos há alguns dias e que estamos muito ansiosos para mostrar a todos, fiquem de olho! 

Quais são outros 3 artistas brasileiros que se assemelham ao estilo de produção de vocês e a galera precisa ficar de olho? 

SPECT3R: São muitos e muitos artistas incríveis espalhados pelo país, mas alguns que têm um estilo de produção parecido com o nosso, e que merecem atenção, são: DEADLINE, Cevith e Kohen, além da Carola que, apesar de não ter uma linha de som muito parecida com a nossa, vem representando a mulherada muito bem e se destacando com um trabalho foda! 

Tem alguma novidade extra ou algo que o público deva saber de vocês? 

SPECT3R: No mês de dezembro lançaremos a nossa versão do clássico Seven Nation Army (famoso “euuu não vou embora”) em uma releitura Progressive House, com os vocais da Ana. E no dia 08 de janeiro de 2021, sai a “Come Over” pela HUB Records em parceria com o Öwnboss. 

Também estamos muito felizes de anunciar que nossas primeiras datas pós quarentena já estão confirmadas e que em dezembro o pessoal do Nordeste pode nos esperar para alguns encontros marcantes!

CONTINUE CONECTADO COM O SPECT3R: SPOTIFY | INSTAGRAM | FACEBOOK