“Melodic Rhōden”? Produtor carioca explora novos caminhos em collab inédita com Öwnboss

Última atualização:

Na última sexta-feira, 26, Rhōden lançou seu mais novo single: “Delusional”, via OneRPM, com o grande Öwnboss. Trata-se de mais uma amostra da versatilidade do produtor carioca, que não apenas mistura e experimenta com elementos de diversos estilos da house e do techno, como também circula entre o pop e o conceitual com muita naturalidade. Ouça aqui.

Em collab inédita com o famoso artista curitibano Öwnboss e com a voz da cantora e compositora britânica Lauren Nicole (que já trabalhou com artistas como Dubdogz, KVSH, SELVA e a belga MATTN), o single aponta um novo horizonte para o brasileiro, cujo som ficou conhecido como “Tech Rhōden”, justamente por ter foco no tech house com um groove bem característico.

Desta vez, porém, o foco migra do ritmo tribal para as camadas melódicas: o trabalho bebe diretamente dos synths harmônicos do techno melódico, que combinado aos vocais adocicados e essencialmente pop de Lauren, produz mais uma vez o contraste de universos que Rhōden explora tão bem em sua identidade — algo semelhante já havia sido visto no single anterior, “Never Cry”, em que o DJ aproximou-se do progressive house.

O Tech Rhōden continua firme e forte, mas eu não quero me limitar a apenas uma vertente de música eletrônica. Gosto de experimentar coisas novas e tentar misturas fora da caixa, e essa collab com o Öwnboss foi mais uma ótima oportunidade para me aventurar em outra pegada”, declara.

Sobre Rhōden

Com um som pulsante e cheio de energia, Rhōden é um talento em ascensão na cena tech house nacional. O carioca coleciona lançamentos que exploram as mais diversas nuances e grooves do estilo, com remixes de nomes como Bob Moses e ZHU, Tiësto e Billie Eilish, mas é nas suas produções originais que ele brilha.

Sempre buscando timbres e elementos inusitados, Rhōden leva como marca a assinatura de potentes singles, como “Power”, lançado pelo selo californiano HoodPolitics em 2020, e outros releases por gravadoras como Sony Music, HUB Records, Deepink, O Problema é Grave! e Le Musique.