via Reprodução

Mulheres do Techno para não tirar da playlist

Última atualização:

A representatividade feminina na cena Techno mundial vem ganhando cada vez mais espaço nos grandes festivais, na mídia e junto ao grande público, deixando sua marca na história do gênero com muito talento e personalidade.

Por esse motivo, listamos abaixo 4 nomes de destaque para conhecer, ouvir, admirar e comprovar a força dessas garotas cada vez mais empoderadas no cenário da música eletrônica.

Charlotte de Witte

A artista mais importante no Techno atualmente atende pelo nome de Charlotte de Witte e nasceu na Bélgica em 1992. Iniciou sua carreira como DJ em 2010, tocando Minimal Techno, partindo para a produção dois anos depois. Neste primeiro momento adotou o pseudônimo ‘Raving George’ para fugir do preconceito em relação a DJs mulheres, na época.

Em 2015 passou a usar seu nome verdadeiro e a partir daí sua carreira decolou. Lançou diversos EPs, criou sua própria gravadora e participou de vários festivais ao redor do mundo, tocando inclusive dentro de um autódromo em uma parceria inédita firmada com a Fórmula 1 no ano de 2021.

Com inúmeras conquistas, entre elas, eleita a melhor DJ alternativa do mundo pela DJ Mag durante dois anos consecutivos, Charlotte entrou para a história definitivamente neste ano de 2022, tornando-se a primeira mulher e artista de Techno a encerrar o Tomorrowland tocando em seu palco principal.

“Universal Consciousness”

Anfisa Letyago

Vinda da gelada Sibéria, ainda que desde os 18 anos morando em Nápoles, na Itália, a artista que hoje desponta como uma das grandes referências do Techno mundial iniciou sua carreira tocando um som mais comercial voltado para o Big Room da época, evoluindo gradativamente até chegar ao Techno quase Hard, com fortes inspirações de seu maior ídolo, o lendário Carl Cox.

Anfisa também se destaca por, no EP ‘Nisida’, lançado em 2021, colocar sua voz nas 6 tracks apresentadas. Recentemente foi convidada para remixar a faixa ‘Acid Tracks’, de Pierre Phuture, um dos grandes clássicos do gênero, que completa 35 anos e ganhou uma série de novas versões em comemoração à data.

“Haze”

Deborah de Luca

A italiana nascida em Nápoles embarcou no mundo dos clubes noturnos primeiro trabalhando como garçonete e depois como dançarina. Foi após conhecer Giuseppe Cennamo, DJ e produtor napolitano, que Deborah descobriu sua paixão pela música eletrônica e resolveu se aprofundar em pesquisas de novos gêneros e tendências.

Em 2013, fundou a sua própria gravadora, a Sola_mente Records, com o desejo de ter a liberdade de lançar suas músicas sem a burocracia dos grandes labels.

Dona de uma determinação implacável e de performances eletrizantes, Deborah mescla o Hard Techno com ritmos mais suaves e melódicos, criando um estilo que agrada tanto nos grandes festivais, como em apresentações mais intimistas.

“Children”

Ellen Allien

Ellen Fraatz, mais conhecida como Ellen Allien, é uma DJ e produtora alemã, que teve seu primeiro contato com a música eletrônica em 1989, quando morou em Londres. Em 1992, após retornar a sua terra natal, tornou-se DJ residente do clube Bunker, iniciou seu radio show na Kiss FM de Berlim e criou a sua gravadora.

Após o lançamento do seu primeiro álbum chamado ‘Stadkind’, Ellen trilhou também pelo caminho da moda, e em 2006 lançou sua marca de vestuário, Ellen Allien Fashion. Produziu ainda a trilha sonora para um espetáculo de dança na França, e assim como seus sets, lançou o álbum ‘LISm”, em 2013, no qual consegue unir diferentes estilos musicais, com todos se comunicando homogeneamente entre eles.

Flutuando entre diversas vertentes do Techno, Ellen tem residência garantida em grandes clubes europeus, como Nitsa, DC10, Mondo, além de produzir suas próprias raves a cada dois meses, chamada “We Are Not Alone.

“Leave Me Alone”

Curtiu a nossa lista?

Compartilhe com os amigos.

Quer conhecer mais destaques da cena? 

Clique aqui, e confira a primeira parte dessa matéria.