vibez-indica-entrevista-kohen

#VibezIndica: Kohen

TRACK DA SEMANA:


Gustavo da Silva Leal é o nome por trás do projeto Kohen. Natural de Porto Alegre, seu estilo de produção musical passeia bem pelo Future House. Leia a matéria e conheça mais sobre a história toda neste #VibezIndica!

O que te influenciou a entrar no universo da música eletrônica? 

Kohen: Foi uma soma de acontecimentos. Desde novo eu já tinha contato com a música eletrônica, meu pai era DJ então ele sempre ouvia e editava umas músicas no Sound Forge, na época a música mais estourada era “Infinity (Klaas Remix)” tocava sem parar nas rádios, nas escolas em festinhas de amigos, aí eu acabei ficando viciado nesse som! A partir daí eu comecei a ter mais interesse mesmo pelo gênero que na época era Electro House!

Você fez algum curso para aprender a produzir ou foi na base da força de vontade, com tutoriais de youtube e dicas de amigos? 

Kohen: Sou totalmente autodidata! Quando comecei não tinha conteúdo na rede sobre isso e muito menos amigos, então eu tive que aprender na marra mesmo.

Como e quando surgiu?

Kohen: Foi em 2009 ou 2010 não tenho certeza… comecei por acidente, meu pai nesses lances de editar música achou um dia o FL studio 8 mas não entendeu nada, aí me mostrou pra ver se eu conseguia entender e ensinar ele, resultado… Ele ficou no soundforge mesmo (risos).

Referências musicais e artistas que te inspiram? 

Kohen: Eu escuto de tudo então as referências são várias haha, vou do Drum and Bass ao Progressive Trance, porém eu ouço muito Klahr, ele produz um som Dance anos 80 com um aspecto super atual que eu me amarro muito e Funkin Matt que tem um estilo bem peculiar de produzir Future House, ele é o único artista que eu escuto e fico pensando: porque eu nunca pensei nisso?

Como você definiria o som que você produz?

Kohen: Atualmente eu diria que meu som é focado no Future House é onde eu me identifico mais como artista mas também amo muito colocar coisas retrô nas músicas! vamos chamar de Retro Future vai (risos).

Como funciona seu processo criativo? 

Kohen: Antigamente eu desenvolvia melodias e ia construindo inicialmente isso no drop, mas hoje em dia eu recebo alguma topline ou acho algum vocal perdido pelo splice e aí tento bolar algo que não seja igual ao meu último lançamento mas que ainda seja meu saca?! Basicamente tento entender a mensagem que o vocal tá passando e tento construir a partir disso, nesse role todo aí os resultados podem ser vários!

Qual o seu setup de produção?

Kohen: Um Pc Desktop com o FL 20, bundle da Fab Filter e Soundtoys, Serum, Sylenth e um fone velho da Sony que ganhei de um amigo em 2013 (risos).

Durante seu set, é possível ouvir quais tipos de músicas?

Kohen: Depende muito do contexto, mas você vai achar Future House, Bass House, algo mais Progressivo…

Cite algo que você ama/admira na música eletrônica ou algo que ela mudou na sua vida:

Kohen: Mesmo acontecendo quase que por acidente, viver de música acabou virando meu sonho! Aí um dia me falaram que eu estava sonhando demais, que música não daria futuro e que eu era um vagabundo… Pois bem, a música eletrônica me tirou do caixa de um hipermercado e me colocou dentro de um estúdio para viver e trabalhar com os principais artistas do Brasil! Eu sou e sempre vou ser extremamente grato por ela me proporcionar isso.

Indique suas duas produções próprias favoritas:

Kohen: “Waiting” com o Salim Sahao e meu remix pra “I Don’t Wanna Talk” do Alok são duas músicas que eu me senti realmente livre e acho que consegui sair bastante da caixa!

Quais são outros 3 artistas brasileiros que se assemelham ao seu estilo de produção e a galera precisa ficar de olho? 

Kohen: 1- Não posso deixar de citar o NUZB, a gente passou um tempo junto principalmente em estúdio enquanto morei em SP, e afirmo que o menino é brabo! 

2- Fullmode, eles também são fora da curva, os dois últimos lançamentos deles pela Mixmash são muito bons, fazem um som muito sensual que vai do Future House ao Deep!

3- Andy Bianchini é o artista mais autêntico e genial do Brasil, ele já é um artista com respeito na cena, mas eu acho que o trabalho dele precisa ser ouvido por muito mais gente, porque é bizarro mesmo!

Tem alguma novidade extra ou algo que o público deva saber de você?

Kohen: Então eu não vou entrar em detalhes porque eu não sei se posso falar sobre… mas 2021 tem lançamento com um cara que super me deu apoio esse ano e estendeu a mão para voltar a produzir o que eu queria com consistência aqui no Brasil, posso dizer que ele está no top 10 mundial só (risos).

CONTINUE CONECTADO COM O KOHEN POR AÍ: INSTAGRAM | SPOTIFY