#VibezIndica: Lowez

Última atualização:

Louise Fábia, a.k.a. Lowez, é a capixaba que, com apenas 17 anos, decidiu se aventurar na arte de ser DJ! Hoje, com 19 anos, já conquistou lançamentos por grandes labels como Spinnin’, Muzenga e Elevation. Conheça mais sobre sua história neste #VibezIndica!

O que te influenciou a entrar no universo da música eletrônica?

Lowez: A vontade de querer me expressar através da música, eu sempre fui fascinada em como os DJs conseguiam “controlar” um mar de gente com suas produções e eu tinha muita vontade de vivenciar isso. E também porque eu nunca tive tanta vontade de fazer algo como eu tenho vontade de viver da música eletrônica. 

Você fez algum curso para aprender a produzir ou foi na base da força de vontade, com tutoriais de youtube e dicas de amigos?

Lowez: Eu fiz um curso com o Sillaz logo no início da minha carreira na Enxame Records, que fica na cidade vizinha da minha, mas nunca deixei de estudar e procurar aprimorar minhas ideias, sempre estou vendo masterclass e tutoriais no YouTube para melhorar minhas técnicas e workflow.

Como e quando surgiu?

Lowez: Meu projeto começou na metade do final de 2019, quando eu tinha 17 anos. Tudo começou quando eu estava em uma resenha de amigos e alguém tinha levado uma DDJ400, eu nunca tinha tocado na minha vida e foi ali que eu tive meu primeiro contato. Alguns amigos que já sabiam tocar me ensinaram e eu fiquei apaixonada, logo depois comprei uma controladora pra eu aprender a tocar, também. Depois de ter certeza que era isso que eu queria pra minha vida comecei a investir no projeto. 

Referências musicais e artistas que te inspiram?

Lowez: ODESZA, Victor Lou, Matroda, Valentino Khan, Kyle Watson e CID.

Como você definiria o som que você produz?

Lowez: Verdadeiro. Eu produzo o que me dá vontade de forma que não saia da minha identidade sonora que, no caso, permanece entre o Bass House e o Tech House. Não consigo seguir tendências, por mais que já tenha tentado, sinto que o som não é meu quando faço algo que não tenha sido de forma espontânea. 

Como funciona seu processo criativo? 

Lowez: Eu sou uma pessoa bem distraída, então, raramente, vou conseguir finalizar uma música em um dia, preciso sair para novas ideias surgirem e poder trabalhar melhor. As vezes passo um mês fazendo várias tracks e no outro não consigo produzir nada, porém sempre estou buscando novas referências.

Qual o seu setup de produção?

Lowez: Uso um notebook gamer, uma focusrite scarlett 2i2, um par de Yamaha HS5 e um fone da Sennheiser HD 25 plus.

Durante seu set, é possível ouvir quais tipos de músicas?

Lowez: Gosto de levar para o público músicas que eles não sabiam que precisavam escutar até escutar, sempre faço os meus sets de forma progressiva com Bass House e Tech House.

Cite algo que você ama/admira na música eletrônica:

Lowez: Eu amo o poder que a música eletrônica tem de, muitas vezes, nos tirar de momentos ruins, tem músicas nas quais os elementos se encaixam tão bem que é quase uma terapia. 

Indique suas duas produções favoritas:

Lowez: A “Make You”, que saiu pela Spinnin’ em collab com o Low Disco, e a “Push” são as tracks lançadas que eu mais gosto, e de não lançadas tem várias.

Quais são outros 3 artistas brasileiros que se assemelham ao seu estilo de produção e a galera precisa ficar de olho?

Lowez: Zbrah é definitivamente um deles, já fizemos 3 collabs e ele manda muito bem. Outra pessoa é o Hotweiller’s, também tá mandando muito, fizemos um remix pra track “London Bridge”, da Fergie, e foi incrível o resultado. E, por último, mas não menos importante, o Jon Warg, eu acho o trabalho dele muito irado e logo menos ele deve aparecer com umas bombas novas. 

Tem alguma novidade extra ou algo que o público deva saber de você?

Lowez: Estou fazendo uma collab com um produtor gringo (que ainda não posso falar quem é) que já teve uns hits em Bass House, podem ter certeza que essa é bomba na certa.

CONTINUE CONECTADO COM A LOWEZ: SPOTIFY | INSTAGRAM | SOUNDLCOUD